segunda-feira, 11 de maio de 2009

Eu...

As perguntas clássicas:

De onde vim? Por que sinto que existe uma câmera me filmando 24hs por dia? Será que todos a minha volta sentem o mesmo que eu? Por que me sinto num Show de Truman? Por que estamos aqui, vivendo? Qual o objetivo de tudo isso?

Respondê-las? Impossível. Tentar entende-las? É mais fácil, mas para isso comecemos pelo “você”.

Quem é você? O que você faz por você , pelos outros? Qual seu objetivo? Você filma a vida 24hs por dia e depois vai assisti-la em seu dvd mental? Você é o protagonista com todas as palavras, PROTAGONISTA, do seu filme de vida?

Não, você vive querendo respostas, perde um enorme tempo cobrando respostas, e não gasta nem um minuto se respondendo sobre si. Perde tempo querendo ver o além que não entende e nem conhece, ainda, perde tempo querendo descobrir o que não descobriu em si, ai perde tempo e se perde!

O protagonista “eu” existe e tem um papel dentro do enorme cenário a nossa volta, qual seu roteiro?

Eu, o ser... o vivo, o humano.

Eu, o que busca e descobre, o que não tem preguiça.

Eu, sempre para todos e tudo, o impossível, visível o invencível.

Eu, cantante, persistente, amante, amado e gerado.

Eu, brilhante, extraterrestre, da terra, da vida do universo.

Eu, o único, sem cópias, sem dores, sem medos, sofrimentos e com caminhos a serem seguidos ou simplesmente olhados..

Eu, que faz, que luta, que chora, que se decepciona, que se regenera que se reinventa.

Eu, em todas as situações, em todas as circunstâncias em tudo que vejo e sinto.

Eu, naquele que amo, naquele que não gosta de mim, eu em mim mesmo.

Eu, adulto, criança, Peter Pan, Joana D'Arc, Willian Walace ou Tito Pulo.

Eu, vivendo, crescendo, desenvolvendo, imaginando e criando.

Eu, dando valor, vendo o valor, criando o meu valor e me valorizando.

Eu, em projetos, na cama, dormindo, correndo, comendo e acordando.

Eu, casado, com amigos, sozinho, no trabalho, na praia, na montanha, na paisagem, na minha página.

Eu, enxergando, o certo o errado,arrumando, caindo e levantando.

Eu, que erro e acerto, que vai e volta, confunde mas acerta.

Eu, existindo, fazendo existir, tendo sonhos, os meus e os do mundo.

Eu, com musica, com trilha sonora, com a minha trilha sonora a preferida a mais bem tocada.

Eu, que sente, que sabe, que finge não ver, que usa peneira sem rede.

Eu, que pode o tudo que quiser,que entende se quiser, que faz quando quer.

Eu, querendo o novo, querendo o mundo, querendo respirar, querendo ver o bom num lugar rodeado por mal.

Eu, mudando o mundo, mudando a vida, mudando o sentido e dando sentido.

Eu, pra mim, pra você e para todo o resto.

Eu, aqui, agora, neste minuto sem tempo perdido.

Eu, o ser humano vivo, completo, único que existe e quer fazer uma mudança geral.

Eu, que sei quem sou, que não te conhece, mas te entende, que aceita ajuda e que vai transformar.

Eu estou aqui e você onde está?

13 comentários:

Brazil com Z! Visite! disse...

realmente precisamos de mais blogs e sites assim, que se importam com coisas relevantes e que contribuem para um futuro melhor
parabens pela iniciativa
boa sorte

Lucas Fernando disse...

Obrigado por ter se tornado seguidora do Blog do Brazileiro
mto obrigado msm, é mto importante isso
sou teu seguidor tb
parabens mais uma vez pelo Grupo Mãos e passe sempre por lá pra gente discutir
abraço!

Natan disse...

cada um tem seu carma neh?
muito bom o seu texto e o seu projeto.
espero que alcancem tudo que almejam. =D

Rubens disse...

São perguntas complexas que todos ou já fizemos ou faremos um dia, nossa existência é algo meio complicado, até hoje todo mundo vive encucado com nossas origens, a origem do mundo, a existência ou não dos dinossauros, serão perguntas que ainda irão nos perseguir por várias gerações.

Seu blog é meio impressionante pos aborda assuntos que nós mesmos deveriamos abordar em nosso inconciente de vez em quando, olha parabéns você passa uma grande contribuição para todos nós.

Também gostei muito do post "A História das Coisas"

Rubens Correia

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net

Miriã Soares disse...

Estou onde o coração e a mente me enviam... e nem sempre onde quero.

Rogerio Martins disse...

Interessante reflexão. O grande ponto é que muitas pessoas não sabem quem são, onde estão, o que querem e vai por ai...

Deste jeito elas ficam como estão, agem como sempre e pensam as mesmas coisas.

Rogerio Martins -
http://palestranterogeriomartins.blogspot.com/

Groo Veiga disse...

Oi, Gisela!

Mas sabe por que? Porque muitas pessoas tem uma auto-estima tão "pra baixo" que acabam se desprezando.

Outras pessoas tem medo de se questionarem e descobrirem-se de outra forma que não aquela convencional para o trabalho, para o dia a dia, enfim.

Eu sei quem sou e estou me conhecendo cada vez mais, cada dia é um novo aprendizado em busca do melhor.

abração, Gisela!

Fabricio bezerra da guia disse...

depois que vi show de truman a minha vida nunca mais foi a mesma,eu fiquei paranoico por um bom tempo

C. disse...

Interessante o blog; um blog de consciencia!
Preciamos de mais blogs como esse.

parabens...

www.conto-um-conto.blogspot.com

sofismo disse...

Interessante é profundo. Parabéns pelo blog.
O meu é mais modesto, dá uma conferida lá.
abraço
www.sofismo.wordpress.com

b disse...

Estou aqui.
Relendo revendo revivendo esses "eus" todos.
Todos sob o vício - desafio de começar sempre do zero radical.
A vida faz quando a gente não faz...
Melhor estar preparado para agasalhar todos esses eus sob uma capa mas que seja invisível, insubstancial para que não seja engano.
Transparência.
Surreal parece o que escrevi aqui.
Mas estou aqui. Estando.

Histórias do Arteiro disse...

E quem não se faz essas perguntas? O assustador é imaginar as respostas... Muito bom o blog, gostei bastante. Vc já esteve no meu antes, espero que possa passar pra dar uma olhadinha...

http://historiasdoarteiro.blogspot.com/

Abraços!

[flor] disse...

todo mundo se pergunta muitas coisas na vida. eu vivo me perguntando muito e como você disse, fico revendo as cenas da vida (da minha vida) no meu dvd mental. não é fácil sermos nós mesmos e nos dividirmos entre o nosso ego, nosso eu interior, com o que apresentamos de nós mesmos para os outros, o que oferecemos de nós mesmos para o mundo.

vivo me perguntando se estou ou não fazendo a minha parte, sem ficar me preocupando demais com o que os outros estão fazendo... mas fico pensando: qual é mesmo a minha parte? como devo agir? e entro nessa roda viva que é o pensamento e a filosofia do "eu". sempre que achamos que encontramos uma resposta, nos deparamos com mais perguntas!

é isso Gi! saudades de vc! saudades do Fê! saudades dessa família que amo tanto! beijoooos enormes!