segunda-feira, 10 de novembro de 2008

EMA EMA - Que diferença isso faz?

Estavam discutindo em um labirinto de rochas, o “SIM” e o “NÃO”. O SIM queria seguir pela esquerda e o NÃO queria seguir pela direita. Discutiram muito. Até que foram surpreendidos por uma terceira figura. Esta chegou, passou por entre o SIM e NÃO, sem nem dizer olá, sentou-se bem no meio da bifurcação e acendeu um cigarro. Espantados, os dois que discutiam acabaram por seguir em silêncio, cada um o seu caminho.
A solidão, a ignorância e a inveja que hoje são muito fortes em nosso planeta, fazem com que as pessoas tenham a mania de achar que pouco podem interferir. Que dificilmente serão notadas, que o honesto sempre se dá mal e que só são escutadas quando gritam.
Estamos nos encontrando dentro de um redemoinho, que gira em círculos espirais para o fundo, onde qualquer um que mostre verdadeiramente o que sente, ou diz o que acredita, ou se incomoda de estar apenas girando, é considerado falso, oportunista e charlatão.
São incontáveis os livros, textos e músicas que reclamam da falta de atitude das pessoas. Da falta de coragem em falar, em mostrar o que sente... Vivemos num mundo onde nossos problemas são culpas do Sistema: do banco, do plano de saúde, da prefeitura, da polícia, da empresa, da instituição... às vezes ele também está “fora do ar”. Sentimos sempre que não temos a quem reclamar, que não somos ouvidos, que não somos considerados. Somos consumidos pelo nosso egoísmo, que só enxerga o mal que é feito diretamente a nós. Nossas vidas estão se tornando cada vez mais impessoais. Tão impessoais que, depois de destruir tudo que nos importa ao nosso redor, vamos destruindo o indivíduo. Até que não sobrará mais nada e não seremos capazes de sermos notados por nós mesmos. Nem gritando iremos nos escutar, nem nos ferindo iremos sentir...
Há centenas de anos decidimos tomar um veneno poderosíssimo. Um veneno que mata a crença. Que aniquila a força da pessoa. Que faz ela suar e sentir frio. Um veneno que cega e ensurdece. Um veneno a base de indiferença!
Não vou lhe dizer “acredite em você”. Nem lhe dizer “dez passos para o sucesso”. Muito menos vou lhe enganar com um “Segredo”. Você está envenenado e vai morrer disso. E a primeira coisa que provavelmente pensou foi: “se estou condenado, agora que vou seguir assim! Se todos fazem...”
Vou apenas lhe dizer que o mundo teria bem menos problemas, se você não pensasse que os problemas do mundo não são seus. O mundo teria menos problemas se eles fossem seus. Você teria no mínimo 6 bilhões de pessoas com o mesmo problema. Sabe o que é enfrentar um problema com 6 bilhões de aliados? Nem eu. Não me deram essa chance. Fui envenenado séculos atrás.
Sabia que hoje morreram muitas pessoas de fome no Quênia? E que mais monges tibetanos foram assassinados nas prisões chinesas? E que uma família inteira contraiu leishmaniose no Mato Grosso? E que a filha do seu vizinho pensa em se matar, porque não tem atenção dos pais? E mais pessoas morreram no Iraque por causa das bombas?
Nada disse é problema seu não é mesmo “Envenando”? Você tem contas para pagar, tem mais o que fazer. “Cada um com seus problemas” estava escrito no rótulo do veneno que tomou, não é mesmo?
Sabe por quê o “SIM” e o “NÃO” estavam discutindo naquele labirinto, sobre qual caminho deveriam seguir? Porque eles se importam um com o outro. Não queriam que um deles seguisse o caminho errado.
Sabe quem era a terceira figura que sentou e ascendeu um cigarro e que mesmo após todo esse tempo, continua lá, sentada, mesmo depois de terminado seu cigarrinho?
“A INDIFERENÇA”, você vai responder.
Está errado, paspalho.
Era você.

2 comentários:

b disse...

Oi, grata pela visita.
Seu comentário é sempre benvindo.
Quanto´a sua "busca" sobre o que deve ser abençoado nos dias de hoje, vá lá prá frente do espelho.
Com sua inteligência, seu senso crítico,sua coragem de expor-se na net, você é um objeto de benção.
Simples assim.

Anônimo disse...

O ser humano é confuso, não? Nunca está satisfeito!
Somos egoístas. Só pensamos em nós mesmo e se sobrar espaço... Pensamos no outro... E nunca sobra!
Querer ser o melhor e o maior... Está no instinto...

Se comparássemos a nossa vida com a de outros menos afortunados que nós, talvez fossemos mais felizes.

É...estamos aqui para sobreviver, e que vença o melhor.
Podia ser diferente, mas acredito que o ser humano não está preparado... :-(