domingo, 14 de dezembro de 2008

Tudo pelo Social?

Dizem que o ser humano é um ser social. Mas será mesmo?
Vamos definir o social.
Social: relativo à sociedade, sociável, que convém a sociedade.
Sociedade: reunião de pessoas que têm a mesma origem e pelas mesmas leis, parceria, participação, associação, agremiação, reunião de pessoas que se juntam para conversar, jogar, etc., relações, convivência.
Quando falamos em social, é claro que nos encaixamos na coisa, afinal de contas, todos têm amigos, conhecidos, colegas, pessoas com idéias semelhantes, assuntos interessantes e afins.
Então, logo nos enquadramos e afirmamos que o ser humano é sim social por natureza, certo?
Deveria, deveria mesmo.
Mas ao mesmo tempo em que a palavra abre para o convívio geral, ela se fecha em um determinado grupo.
Como assim?
Ser social, por definição do dicionário, é também ser conveniente a sociedade, e hoje vivemos em uma sociedade segregada em castas políticas, religiosas, financeiras, culturais e por ai vai.
Então, como ser social se você precisa se enquadrar em uma casta para isso?
Nós só somos sociais com aqueles em que acreditamos possuírem algo que acrescente e que convenha, ou que tenhamos algo em comum.
Você não é social com um morador de rua, por exemplo. E não estou falando em campanhas de arrecadação de roupas ou alimentos por pena dessa pessoa e daí se sentir solidário e altruísta. Estou falando em socializar, sentar ao lado e conversar, ouvir e aprender o que uma pessoa completamente fora do seu mundo, do seu círculo tem a dizer e por que não, ensinar.
Dificilmente um ser humano consegue viver sozinho e completamente isolado, sem contato com outro ser humano, mas também só quer ter esse contato com alguém que acreditar estar a sua altura, no seu nível, na sua casta.
Apesar de não conseguirmos viver completamente sós, é na solidão que conseguimos refletir sobre nosso caminho. Mas trilhá-lo, é muito melhor acompanhado.
O ser social é aprender a conviver sim em sociedade, toda ela. É deixar de lado pré-conceitos, deixar de lado o ego e entender que por mais diferente que uma pessoa possa ser de você, ela é um ser humano também, criado da mesma forma, igual em tudo.
É respeitar ideologias, respeitar personalidades e por que não, flexibilizar a sua?
Ser social é viver em comunidade e querer que todos os membros dessa comunidade tenham as mesmas chances, os mesmos direitos, os mesmos deveres.
É entender que essas diferenças que hoje abrem abismos entre as pessoas são tão pequenas perante a grandeza de onde se pode chegar com todos juntos.
Como você pode dizer que é social se você não se preocupa e não se mobiliza para mudar a sociedade que afeta um grupo que não é o seu?
Deixar de olhar seu quadrado, levantar a cabeça e ver que no quadrado ao lado, existem coisas interessantes e o melhor de tudo, poder compartilhá-las. Preocupar-se para que o quadrado ao lado seja no mínimo tão bom quanto o seu, ao invés de sair numa busca desesperada pelos quadrados que você acha que são bons ou melhores. Deixar de procurar “seu grupo” e se encaixar no grupo ao seu redor, incentivar esse grupo tão diferente do seu se você acredita que pode ajudar a trazer melhorias, e não dar as costas em busca de seus “clones” e deixar os “diferentes” de lado.

Social é estender a mão e puxar para perto, sem distinção, e não empurrar para longe, como vemos hoje.
Afinidades para amizades sempre vão existir. Ninguém vai ser amigo de todo mundo e nem o mundo vai ser seu amigo, mas não limitar-se a pessoas que de tão parecidas em pensamento, gostos e atitudes parecem robôs.
O ser humano é sim, social por natureza, mas está longe de ser sociável com deveria.

25 comentários:

Tiago disse...

Olá, Isabel. Não podemos esquecer tbm daquele grupo de pessoas que é sociável apenas por interesse! Sim, infelizmente ele existe. Sobre os outros grupos, acredito que o ser humano é muito comodista. É mais fácil se adaptar ao meio do que tentar modificá-lo, mesmo que essa mudança venha a trazer melhoras.

Super beijo e ótima segunda-feira!
http://www.mundoglam.com.br

The Revolutions disse...

Praticamente tudo que você citou, eu concordo com você, concordo que temos que ser sócial em vários outros sentidos em nos dias de hoje está sendo ignorado. Porém, acho que varia de pessoa pra pessoa, acho que alguns tem atitudes diferente de se socializar com os outros e acabam tendo certas dificuldades. :D

Meu blog é novo, porém recomendo. o/ Até agora só tem três textos publicados em breve virá mais.

http://the-reevolutions.blogspot.com/

Claudemir disse...

No aspecto geral concordo com seu texte, como vc disse a maioria das pessoas só se preocupam com seu mundo e esquece, ignora e até mesmo desrespeitão aqueles que não são comum de seu meio social.
Pra mim o que deve ter hj em dia é no mínimo mais respeito com o ser humano indiferente do meio social que ele pertence, haver um maior entendimento entre as pesssoas do meio social diferentes.

Gran Magic Carmesin: Nat Valarini disse...

Bom dia!

Muito interessante seu ponto de vista e sua abordagem.
Com certeza a sociedade teria uma "cara" melhor se todos fossem solidários e se sensibilizassem com os problemas alheios, porém a coisa é muito mais ampla. Com certeza há uma "pá" de atitudes egoístas que impedem o ingresso dos excluídos para o convívio social, mas também há outra "pá" de pessoas sem caráter e de espírito medíocre que acha que cabe a sociedade mudar a vida delas, são aqueles que vivem 'ao DEUS dará'.
Não a favor do egoísmo, mas também analiso a situação por uma outra ótica. Eu estou aqui no meu quadrado fazendo a minha parte, se cada um estiver no seu espaço fazendo a sua a coisa muda. Veja bem, não estou te acusando de nada nem querendo ser agressiva o que eu estou querendo expôr é que o estilo de vida e as políticas sociais disponíveis hoje, fizeram da população, principalmente da classe mais pobre pessoas passivas. Atitudes como essa colocaram na cabeça da grande massa que eles têm que esperar uma cesta básica do governo, que a vida é difícil e muda para uma pequena parcela.
Conheço casos de pessoas que mesmo vindo de uma situação de extrema miséria, correram atrás de seus sonhos, transformando-os em planos e os concretizaram através de seu próprio mérito. É claro que neste cenário de desigualdade elevado, isso se torna uma minúscula exceção, mas são estas pessoas que fazem a diferença. Acredito que a atitude que devemos ter em relação ao próximo é de ensiná-lo a pescar e não somente dar o peixe, como o governo faz de vez em quando.
Infelizmente cidadãos comuns que tem a iniciativa de formar grupos com projetos que buscam mudanças de forma consciente e saudável acabam nadando e morrendo na praia.

De todo, acho bacana a sua iniciativa de tratar do assunto e concordo, em parte, com seu ponto de vista.


Bjoks e parabéns pelo seu blog, vc escreve muito bem!

http://garotapendurada.blogspot.com/
http://ocaoinfiel.blogspot.com/

dudalak disse...

realmente!!
as pessoas se dizem sociais sem saber o que significa e não fazem nada para ser assim!!!
é triste mas...
existem algumas exceções neah? ;)

adorei seu blog!!

DuDu Magalhães disse...

Agimos contra nossos principios éticos e morais... será esse o mal da humanidade??

PS: Estou montando uma ONG para trabalhar com fotografias com pessoas carentes... cada um faz a sua parte, e assim movimentaremos a arte!


http://minhainspiracao.blogspot.com/

mateusbonez disse...

UAU, vs escreve mto bem e suas idéias e principios são magnificos ;D
Adorei :D

Beeijo
http://tiomah.blogspot.com/

Michell Niero disse...

É difícil crer uma sociedade quando temos sistemas de produção atuando de modo a promover ferramentas e dispositivos que buscam a acomodação, o contentamento e o individualismo. Vivemos numa época em que as relações sociais deixaram de ser fundamentais para a sobrevivência na sociedade, desgraça que apenas colabora para a concentração de riquezas, injustiça social, esvaziamento ideológico e descolamento do Estado sobre a sociedade.

Como resolver isso? Trabalho ingrato, e eu não sei se a internet ajuda ou atrapalha nesta processo. O fato é que estamos diante de um quadro terminal, que pode ou não reverter-se nas próximas gerações em algo pior ou em uma transformação drástica.

greatdj disse...

Discordo em parte com o que disse, não podemos é claro deixar as pessoas excluídas, isoladas.
Mas o homem é obrigatoriamente um ser social, só pelo fato de termos uma família já somos obrigados a conviver com pessoas diferentes. O fato de estender a mão e puxar para perto é ser solidário.

outroblogdamary.com disse...

O ser humano é essencialmente social, afinal nenhum homem é uma ilha. E foi através dessa qualidade que alcançou a civilização, por assim dizer.

Você critica o fato do homem querer juntar-se com outros com quem tem afinidade. Não vejo nada demais nisso. Afinal, é difícil conviver com alguém com quem não se tem qualquer interesse comum.

Só que, aí concordando com o que você disse, é preciso também olhar além do quadrado e exercitar o altruísmo, que é sim uma qualidade social, pelo menos ao meu ver.

beijos.

Aline disse...

Uma coisa que sempre acreditei: caridade e ser social não é vc doar aquilo que não te faz falta, mas sim vc fazer a diferença...

Beijos !!!

Aline disse...

Uma coisa que sempre acreditei: caridade e ser social não é vc doar aquilo que não te faz falta, mas sim vc fazer a diferença...

Beijos !!!

Ideais e Alucinações disse...

É... a idéia de sociedade já não é nem mais pensada. Exemplo: por mais puritana que seja a pessoa para com seus próximos, ela já não sente o mínimo remorso se acabou de passar batido por uma senhora jogada no chão que lhe suplicava ao menos um resto de comida...


Se puder, visite meu blog:
http://www.musicalucinada.blogspot.com/
Obrigada!

kilder disse...

Olá, bem legal esse blog! muito bom ler algo bom ....parabens! boa semana a vc e a todos!

Miriã Soares disse...

Realmente, pensar em fazer e ser "a" diferença na sociedade eh muito difícil...

Bianca disse...

concordo...mas falar de ser humano está longe de ser em apenas uma página ou um comentário, é algo muito mais complexo. Porém, vc conseguiu, de um modo simples e objetivo, falar de uma característica tão instigante. Às vezes quando paramos um pouco, e temos um olhar de "cima", podemos perceber o quanto está (ou sempre foi)confusa e até mesmo caótica essa relação de ser humano com ser humano. Parabéns pelo texto.

Beijos

http://www.sonhosamadores.blogspot.com/

Transparente disse...

Simplesmente ameiiii seu blog, concordo com vc, post muito bem escrito e sincero!!
Vou adicionar seu blog aos meus favoritos
Parabens, maravilhoso!!!

Anônimo disse...

parabéns pelo blog...
muito bom.

Fabio Thiago disse...

muito bom esse blog!
exelente o texto faz agente refletir sobre o q vc colocou em questão, e sinceramente eu tinha uma visão errada sobre o que é ser social.
abraço

André disse...

sim. mas como vamos botar na cabeça que o bem comum traz o bem individual e todos podem ser menos infelizes.

amandaedalete disse...

"O ser humano é sim, social por natureza, mas está longe de ser sociável com deveria."

Sim, concordo nos precisamos aprender muito para ser tornamos sociaveis.

Martin disse...

Deixa de existir "Quem somos" e passa a haver "O que somos"

Ms. Molly Bloom disse...

olá, gisella!
obrigada pelo carinho com meu blog.
estou lendo cuidadosamente as matérias do grupo.
parabéns.

André disse...

esqueceste que granda parte da humanidade tem uma formaçao canalha e vive de mentira?

cincode5 disse...

o ser humano é sim, social,mas apenas dentro de um limitado grupo de pessoas, ou seja, de acordo com as definições citadas de sociedade... não existe ser humano que se enquadre como um todo..
é o que acontece quando as coisas chegam ao ponto de diferenças que existem hoje em dia, sejam elas absurdas ou não!