sexta-feira, 27 de junho de 2008

O BOICOTE... quer dizer...

“Não há nada melhor a ser feito do que passar a vida fazendo nada”
Este texto, senhoras e senhores, tchananãn... é sobre O BOICOTE!
Iiiiirrrrrrrrcccc!!!!
[foto removida]
Desculpem-me. É sobre a Preguiça
(agora sim, põe a foto)
Pode ficar tranqüila(o) que não será derramado sobre você aquelas coisas ultra clichês, que estamos enjoados de ouvir mas ainda não estamos cansados de ignorar, como “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”, "xô preguiça"entre outras.
A preguiça é o maior boicote que uma “besta-quadrada-humana” pode cometer. Você*!!!!!!
A definição é minha e nem vou buscá-la no dicionário. A preguiça para a igreja católica, que a classificou como pecado capital, é basicamente “aversão ao trabalho”. O que a gente chama de vagabundagem, corpo mole, não querer nada com a hora do Brasil... Assim, podia-se ter o clero e a comunidade ao dispor do monsenhor, cuja única recompensa seria o “não pecar” e a obrigação dele, era desfilar seu dedo anelado para ser beijado...bleargh!
A preguiça é a mais clara demonstração de que estamos em guerra. Uma guerra travada dentro de cada um, uma guerra programada e com data para terminar, entre a sua mente (que mente) e seu coração (voz da alma).
Poderíamos criar um mini fórum de discussão onde todos dariam suas opiniões sobre o que é melhor de ouvir, a razão ou o coração, mas não temos o direito de discutir isso, não com o mundo sendo o reflexo da bosta que você é. Que vai vir falar de equilíbrio com ares de soberba e continuar nos levando à derrota...
O boicote vem da sua mente. Ela não gosta de você, não quer te ver bem, desconfia de tudo, perde tempo pensando e, se possível, vai te indicar o caminho oposto ao que deves seguir.
[Se sua vida é perfeitamente harmônica e não existe dúvida, nem medo, nem erro, desconsidere esse texto, você é 100% voz da alma]
A preguiça faz justamente isso. Em forma de “falta de vontade, ânimo ou força”, sob a máscara da dificuldade, do “é muito trabalhoso”, “é chato”, “é demorado”, “é longe”, “é frio”, “é tarde”, “é feio”. “é isso e é aquilo”, você vai se boicotando, vai se privando de realizar coisas, iniciar projetos, colocar idéias em prática, estudar, visitar, telefonar, conhecer, ler, pesquisar, reunir... e nunca vai saber o que seu coração lhe sinalizava.
Todas as vezes que tive preguiça de sair, e acabei saindo (a força), foi quando me diverti mais. Todas as vezes que enrolei, enrolei, enrolei para fazer alguma coisa, foi quando eu perdi mais tempo, perdi mais oportunidades.
Preguiça não tem nada a ver com descansar e ficar sem fazer nada. É uma delícia ficar largado no sofá, ou na rede, ou na piscina, ou na grama... Você não tem que viver zanzando por aí, caçando o que fazer. Preguiça é a vontade de não fazer quando você TEM que fazer algo. (pode ser o que for... até pegar um copo d’água). Enrolar, também é mascarar a preguiça: “fico aqui de bate papo na internet o dia inteiro e não arrumo o quarto”. Dizem que existe preguiça na natureza. NEGATIVO. O gato passo o dia todo deitado sem fazer bocófas...até sentir que deve caçar. Pergunta para ele se ele vai deixar pra depois? Até o bicho preguiça, ouve mais a alma do que você*!
A preguiça é aquela idéia de deixar para depois a fim de boicotar sua vida. E a culpa é sua! O plano da mente é que o prazo acabe, que o banco feche, que seu amor se zangue, que seu filho se chateie, que depois você tenha milhares de tarefas acumuladas e acabe deixando de fazer alguma... E, na hora que estiver resolvendo aquela prova, coçando a cabeça sem saber o que responder, vai se lembrar de todo o tempo que teve para estudar, da mesma forma que teve para arrumar a casa, comprar o presente, trocar o óleo do carro, brincar com seus filhos, fazer aquele relatório chato...
O intuito da mente é que você viva frustrado consigo. Que você viva com raiva de você, correndo contra o tempo que você jogou fora. O tempo nem existe para a voz da alma, porque para ela, só existe o agora. Tum. Agora. Tum. Agora. Tum. Agora. Tum... sair do ritmo é com você.
A preguiça é a melhor forma de se boicotar, de perder oportunidades, de não realizar os desejos de sua alma. É ficando chato, molenga, com sono, que a sua vida refletirá mais a porcaria de soldado que és, nessa guerra já quase perdida.
Caso sua cabeça tenha passado o texto todo contra argumentando, saiba que você estará marcando um baita gol contra – cheio de argumentos e justificativas. Num fica nem perto de mim, por favor!!!!

Quantas vezes, por preguiça, você se frustrou com algo que demorou a fazer ou não fez?
Quantas vezes você se sentiu satisfeito por ter feito parte de algo bom, por ter iniciado e terminado algum projeto ou vontade tua?
Percebe a diferença? Ou tem preguiça de entender?
Tenho um desafio! Faça isso por 10 dias e chegue a suas próprias conclusões:
- Faça exatamente o contrário de sua preguiça!
Perceba como vai se sentir.
Nesse momento, eu sinto que terminei meu texto... mas quero ficar escrevendo porque to com preguiça de trabalhar e se eu terminar de escrever, terei que encarar os papéis da minha mesa... * todos nós ...aaarghh, uuurgh, afffs
Tchau! (!)

Luxúria

Ahhhh, tema bom este não? Todo mundo gosta de sexo, mas tem gente que não admite!
Tem pessoas que sofrem horrores para controlar esse ardor interno, esse desejo, essa vontade de se render aos prazeres da carne, as sensações ardentes, ao proibido!
Opa, só um momento, proibido?


Para, para, para, vamos ver uma coisa.
Segundo o dicionário, Luxúria é o comportamento desregrado com relação aos prazeres do sexo, lascívia, concupiscência, e tem mais, o dicionário define Luxúria como “mesma coisa que” CIO.
Deixa ver se entendi.... mas CIO não é o termo usado para os animais na época onde a fêmea encontra-se fértil? E, até onde me consta a informação, apenas o ser humano (e os golfinhos) sentem prazer no ato sexual.
Então, por que usa-se como uma das definições o período de reprodução dos animais, relacionando diretamente com a entrega a um ato que trás prazer ao ser humano? Por que?
Para justamente associar o ato sexual a uma coisa suja, animalesca. Para ser livre de pecados, apenas com fim de reprodução, e mesmo assim, haja penitência depois. Mas ai sim nós estariamos nos igualando aos animais. Eles têm um período especifico para o ato sexual, nós não. Nós temos um sentimento chamado desejo.

E tornar um desejo natural do ser humano em algo proibido é impedir que ele consiga de alguma forma encontrar-se e entregar-se. Se fosse realmente proibido, sujo, Deus teria nos dado tanto prazer? Seria então uma provação?

Mas, como tudo ao excesso faz mal, controlar o apetite sexual é o mínimo que um ser racional deve fazer.
A Luxúria é geralmente associada ao desejo carnal, aos prazeres do sexo, mas por concupiscência, que é um sinonimo/definição, pode ser também um desejo ardente. Um desejo ardente de aceitação, um desejo ardente de carinho, um desejo ardente de atenção, um desejo ardente de camuflar a solidão. A projeção de tudo isso no sexo. Não somente o ato sexual em si, mas toda a conquista que envolve o antes, e as expectativas que vem depois. Sexo só por sexo e em excesso já é transtorno psiquiátrico.

A entrega a Luxúria, de forma consciente, sabendo o que esta sendo feito, e utilizando desculpas para o comportamento, como “estou solteiro, tenho mais que me divertir”, “solteiro sim, sozinho nunca”, para os homens, que precisam dar uma de garanhão, e para as mulheres que querem fazer o que os homens fazem, fazer porque deu vontade, porque não tenho que dar satisfação da vida, etc, etc, etc... é na realidade enganar-se.
Essa entrega a uma vida desregrada sexualmente, esconde mais do que o sentir prazer. Geralmente envolve uma pessoa emocionalmente fragilizada e solitária, que necessita de atenção, de carinho, de aceitação mas que inibe tudo isso mostrando poder na conquista sexual.
Esconde-se atrás do sexo. Usa pessoas para suprir necessidades. Usa o sexo para tapar os buracos. E engana-se com a sensação de felicidade momentanea que o ato sexual puro e simples trás. O sexo não vai tapar esse buraco, ter vários parceiros(as), não vai tapar esse buraco.
Ter uma pessoa que te dê carinho, atenção e respeito vai tapar o buraco. Aprender a viver consigo mesmo vai tapar o buraco.
O amor e a luxúria são opostos. O amor valoriza, a luxúria domina. Troca um pelo outro é trocar um sentimento sublime por uma sensação insignificante de satisfação momentânea.
O sentimento de ser querido, nem que por alguns momentos, que o sexo trás, é o que leva à Luxúria. Uma vez sentido que é possivel substituir a solidão por 2-3h de prazer e atenção de alguém, é o que faz querer mais, como uma droga. E o cultivo de um sentimento assim pode agravar a solidão, a insegurança, o vazio.

Pecado é manter uma vida assim, enganando-se da situação por orgulho de admitir que é carente, sozinho, que precisa de alguém. E ai, projeta-se esses sentimentos de carência para uma pessoa com a qual o único sinal dado, foi de que seria apenas sexo. E a frustação da perda dessa pessoa, ou da ilusão feita em cima dessa pessoa, pode tornar-se em raiva. E para controlar a raiva? Mais sexo, com outra pessoa.
Como disse Krishna: “é a luxúria, nascida dentre a paixão, que se transforma em ira quando insatisfeita. A luxúria é insaciável, e é um grande demônio
Seu demônio interno, alimentado por seus atos.

Sexo é bom, não é pecado algum. Em um relacionamento então, melhor ainda. Entregar-se a uma pessoa que se ama, que te ama e que te respeita é a melhor sensação do mundo e não há nada de errado, sujo ou pecaminoso nisso. Deus não vai castigar ninguém por entregar-se a esse prazer com este intuito. E mesmo sexo casual de vez em quando não mata ninguém.
Descobrir a diferença do uso do sexo como disfarce de um vazio, uma solidão com o prazer da entrega é o que vai abolir o demônio.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

ORGULHO
No dicionário: "exagerado conceito que alguém faz de si próprio, sentimento elevado da sua dignidade pessoal, soberba, pundonor, brio, vaidade, empáfia, aquilo de que alguém pode orgulhar-se."

É sabido por todos que a miséria humana tem sua fonte no egoísmo entre os HOMENS. Cada um procura assim querer sua satisfação antes de tudo e todos, e pensando só em si. Para atingir este absurdo objetivo a qualquer preço, o ser humano sacrifica sem escrúpulo algum dos interesses dos outros, tanto na ordem moral, como na ordem material.

Agora vem a pergunta... Porque diabos falar de egoísmo se o titulo é ORGULHO???
Bom, o EGOÍSMO é parte integrante do ORGULHO. A total falta de controle de personalidade leva o homem a considerar-se superior aos outros, o faz crer que possui direitos superiores. Machuca-se profundamente com tudo o que (segundo ele), seja um atentado aos seus direitos, e é aí, senhores, que entra mais um “Pecado”, o ORGULHO. Ele se liga tão naturalmente a sua pessoa, que o torna um EGOÍSTA.

O ORGULHO (soberba) é causado pela crença que o homem alimenta de sua superioridade individual e para provar o contrário é necessário mostrar-lhe que ele não é mais que os outros e que os outros são tanto quanto ele. Ensinar-lhe que a IGUALDADE é sim um fato e não, simplesmente, uma bela teoria filosófica.

Sabemos também que o ‘ORGULHO EXCESSIVO’ nos transporta a um mundo de imagens grandiosas e entope a “mente” de emoção, fazendo assim o orgulhoso pensar que o mundo gira a sua volta e só. Com tudo isso ele se torna uma pessoa de difícil acesso e convívio, fazendo-o terminar a vida sozinho aguardando que um dia o reconheçam como alguém superior.

O Orgulho embasado somente na nossa crença de capacidade própria torna-se doentio, tudo é um equilíbrio constante para não tornar nossa vida uma colecionadora de grandes náufragos.

Podemos dizer também que interpretar o significado de ORGULHO seja um tanto quanto difícil, pois mesmo o mais humilde dos homens pode ser um orgulhoso... Sim é verdade, pois o que o impedirá de sentir orgulho de sua bela humildade?

O ORGULHO também pode corresponder ao impulso, sempre necessário, de mantermos nossas cabeças erguidas prontos a passar por mais um obstáculo, que ao nosso ver é difícil e ardoroso. E por este motivo, não teríamos mais interesse em conquistar nada??. Não, isso nos levaria a um sentimento de total inércia perante a vida. Conquistas são validas sim, e orgulhar-se delas mais ainda.

Entendam que a conquista colocada aqui, não deve ser entendida como um passaporte à arrogância e muito menos nos fazer sentir que somos superiores por tê-la alcançado, ela servirá sim para nos mostrar que ainda temos muito que aprender por aqui.

Quem hoje não se orgulha de um filho, de um pai, uma mãe, um irmão um amigo querido? Este tipo de orgulho para quem recebe, é bem satisfatório. É ótimo saber que nosso pai sente orgulho do que fizemos, não?

Sentimentos não são radicais, eles ajudam sim a nos fazer entender a fragilidade que temos dentro de nós como seres humanos, nos fortalecem diante de problemas que no decorrer de nossas vidas irão aparecer.

Orgulhe-se da vida como um todo, orgulhe-se por acordar todo dia, orgulhe-se do que você pode fazer hoje de bom, orgulhe-se de ser mãe, pai, orgulhe-se por ter um filho..... Mas jamais orgulhe-se por achar-se superior ao outro, somos todos iguais e moramos na mesma “casa” e não pagamos aluguel pra isso, simplesmente usamos o tudo que nos foi dado de maneira igual, sem distinção alguma
.


sábado, 21 de junho de 2008

IRA...


...no dicionário: cólera, zanga, indignação, raiva, desejo de vingança.

Se tentarmos dividir a IRA em indignação contra alguma injustiça, maldade e violência, acabamos dando a ela a ferramenta necessária de ataque e defesa como expressão de indignação contra algum ocorrido. Claro, é muito, mas muito fácil justificar o mau uso da IRA com os motivos de uma indignação justa. E se olharmos por este lado, notaremos que todos nós PECAMOS.
Explosões repentinas, brigas, gritarias, violência... Isso nunca foi e nunca será sinônimo de indignação, isto nada mais é que: DEMOSTRAÇÃO DE DESCONTROLE EMOCIONAL, ABUSO DE AUTORIDADE E COMPLEXO DE INFERIORIDADE. Pensem assim: “o que chamam de temperamento não passa de um defeito de caráter”.

Ela não promove atos involuntários. Claro que não!!! Ela se manifesta de formas diferentes entre as pessoas. A Ira pensa, ela assume vida própria e domina a razão, coisa pela qual ela devia se deixar dominar...

A emoção da IRA, turba facilmente o julgamento, ignora facilmente a verdade, passa facilmente sobre os limites do certo e do errado.
Podemos sim ficar justificadamente irados, mas não podemos nos transformar em loucos!!

Devido ao estresse e outros fatores emocionais as pessoas estão cada vez mais intolerantes, não só com o mundo a sua volta, mas com o todo que gira o mundo.
Ex: Falta de paciência com amigos, filhos, noticiários, trabalho, contas, casa, carro, transito, Impostos, taxas, bancos, vendedores, cia de telefonia... Nossa já to irada!!!!!

Uma emoção totalmente destrutiva para quem sente ou para quem é objeto dela, uma emoção cabível em diversas situações do nosso dia a dia, então chego a claríssima conclusão que:
A IRA NÃO É UM PECADO CAPITAL, ELA É UMA AÇÃO A REAÇÃO DE NOSSA VIDA PARA CONOSCO.

Vivemos em uma era em que o ser humano repele instintivamente tudo o que lhe é contrário.

A IRA torna-se sim pecaminosa, quando ela implica desordem no exercício do poder natural da reação diante do mal. Vou explicar: é completamente errôneo o fato de alguém se irritar mais contra os “pecados” dos outros do que contra os seus. (Obvio, o ser humano tem uma grande dificuldade em se ver, com isso utiliza a IRA para justificar um erro que também foi cometido por si). Podemos dar o exemplo também de indignar-se com simples acontecimentos cotidianos, como o fato de uma toalha estar fora de lugar. (Santo Deus, com o mundo cheio de guerras injustas você se preocupa com a toalha fora do lugar???!! )

Mas vejamos que em uma discussão ocasionada por um descontrole emocional e sendo assim vc usa reação IRADA, lembre-se que há dois lados nesta discussão, o outro lado humano também tem suas razões, existem mil formas de mostrar ao outro lado o que você esperava dele em uma determinada situação, a IRA com certeza não é a melhor alternativa.

Usemos esta Ira que é parte humana, em prol do bem, sentir Ira com o mundo, com as guerras, com as injustiças que atualmente cobrem a real personalidade humana nesta vida. Esta IRA pode ser justa, ser for usada contra a injustiça a algo, contra maldade aplicada ao mundo e contra a violência causada ao ser.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Nhoc... GULA!

... Estava aqui...hummm e... espera um pouco...huh... depois de ler o texto da ...inhoovehuja... inveja... resolvi...hum... que ia escrever... sobre.... ...ah ... ... ... calma que estou comendo... ‘gulp’...

GULA!

Pronto. Engoli e larguei o que estava comendo...

A porcaria da Ortodoxia considera a Gula um pecado perdoável! Óbvio. Ele é mais fácil de ser admitido, envolve a maravilha que é comer e claro, ele é visível pelos outros. Assim, inveja ninguém tem, mas a gula... bem, a gula é perdoável.
Pode até ser que seja...pelos outros, mas não devia ser perdoada e permitida por quem “peca” com ela. (peca contra quem?)
A Gula, é entendida como “comer e beber em absurdo excesso”.
Enquanto eu pecava, me empanturrando de biscoitos, pensava que comer em demasia nada mais é que uma fuga.
Quem é chegado a fabricar e remoer um problema, normalmente não come, só para se afundar mais um pouquinho no pepino inventado. Quem não gosta, quando tem algum, mergulha na comida – e na bebida – como uma deliciosa forma de fuga.
Gula é fuga? Sim... saborosa FUGA!
Quando comemos em excesso, estamos buscando uma certa tranqüilidade, que não conseguimos sem a comida. Estamos tristes: comemos; Ansiosos: comemos; Angustiados: comemos; Esperando: comemos... às vezes até os dedos! E não se trata apenas da quantidade de comida, mas da quantidade de vezes que nos pegamos comendo.
A Gula é filha da inveja, porque projetamos na comida, nossa insatisfação por não TER, não FAZER, não SER, o que sentimos que devíamos...e por isso... comemos para tentar preencher um vazio que não está no estomago! Está em nossa alma. Em nossos sonhos e desejos. (até sexual).
Quem sofre com a gula, sempre está inquieto, sente que não está cumprindo seu papel, ou fazendo o que queria estar fazendo. Ou porque está acomodado demais... a GULA... é um aviso! Um indicativo de vazio! E não é de comida. Existe até a gula de atenção, a gula de conversa, a gula de contato, a gula intelectual, onde devoramos e sugamos feito loucos o momento e não o absorvemos... não o aproveitamos, deglutimos sem mastigar, sem goles... e isso faz mal.
BEBER e COMER demais nos faz esquecer de nossas insatisfações conosco. “Nos faz esquecermos aquilo que não somos” e deveríamos ser. E não por coisas impossíveis: “Tenho Gula porque queria ser milionário e acabei de arranjar emprego” – NÃO! É por não sermos melhores conosco, por não buscarmos o que nos satisfaz, por não estarmos sendo quem gostaríamos de ser... é por sentir que o tempo de evoluir passou e ainda estamos aqui, com a cara nessa macarronada sem fim.
A Gula precisa ser reconhecida! “Opa, estou comendo demais... do que estou fugindo??”
“O que estou deixando de ser?” – “Como preencher esses vazios, com o que o vazio realmente precisa? Porque com feijão, não vai dar certo”. Se há GULA, há VAZIO.
A Gula nos faz fugir da CULPA. Mas de cada culpa que foges, voltas com duas, a original e a por ter comido demais, vivendo assim num ciclo vicioso onde você termina se sentindo menos atraente, menos feliz, menos disposto e mais vazio...Devorar a comida é devorar a si mesmo. Beber em excesso é sugar o momento... e depois, não adianta contar a bebedeira para todos como se aquilo fosse o máximo. Lá dentro de você, você sente o vazio... e vai buscar preenchê-lo de novo, e de novo... preencha-o com a coisa certa! Não fuja da sensação de não ser o que gostaria. Destrua-a buscando SER!!!!!!!!
Se acordasse hoje e todas as religiões tivessem desaparecido, se alimentar ainda seria um ato solene e sagrado. Um momento a se contemplar, de absoluto prazer, para o corpo, e para a alma, uma dádiva divina. Comer é uma delícia, ainda mais comida boa, e já que não existe delivery no cemitério, nem no crematório – coma enquanto puder, mas sem gula. Aproveite todos os pedaços como se eles fossem o ultimo...lamba os dedos... faça isso com a vida também!
Agora com licença, vou beber meu refrigerante.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Pecado ou Comparado!!??

Hoje falaremos sobre um sentimento que pertence aos temidos “Sete pecados Capitais”:


INVEJA
“Inveja é o desejo por atributos, posses, status, habilidades de outra pessoa gerando um sentimento tão grande de egocentrismo que renegue as virtudes alheias, somente acentuando os defeitos. Não é necessariamente associada à um objeto: sua característica mais típica é a comparação desfavorável do status de uma pessoa em relação à outra.” - É o que dizem os dicionários e uns sites de busca que conheço.
A inveja é o sentimento, e pode-se dizer também a emoção, mais primitiva, vulgar e arcaica do mundo.
Ela tem origem no ciúme, na baixa estima, na falta de iniciativa de fazer o que se julga incapaz, etc... Normalmente ela utiliza o mecanismo de comparação para agir. Não é só uma tristeza pelo bem do outro, mas é também uma alegria incomum pelo mal alheio. Esta comparação nasce pelo sentimento de inferioridade causado, vamos a uns exemplos:

-Bens materiais: fulano tem um carro, dinheiro, família, casa própria.... Eu não!

-Bem Físico: Fulano é mais magro (a), mais forte.... Eu não!

-Bem social: Fulano tem um entendimento muito bom em relação à sociedade em si.... Eu nem sei o que é isso!

-Bem Espiritual: Fulano consegue atingir um entendimento religioso e passa isso de forma convicta.... Eu não!

Nisso tudo, sentindo-se menores, é evidente que o sentimento de ser maior e se enaltecer nasce. E qual a melhor forma de obtê-los?????
Destruindo tudo de bom que o outro apresenta. Criticando-o severamente.
A comparação foi instituída em nós desde crianças. Somos comparados desde pequenos, com irmãos, primos, amigos, o melhor da sala... Tudo isso acabou causando “metástases”, onde a humilhação e a critica são aditivos constantes para fazer sentirem-se incapazes de obter coisas ou fazer coisas boas! Ai o que se segue são os sentimentos de impotência, inferioridade e insatisfação pessoal.
Em toda a ação invejosa, o humor disfarça a sensação de inferioridade das pessoas. O certo seria as pessoas aceitarem sua condição sem nenhum tipo de frustração, mas infelizmente vivemos em uma sociedade que não privilegia virtudes excepcionais e sim de caráter acessível a todo mundo.

Vou explicar....

As pessoas teriam que ao comparar-se com outras, não construir barreiras humanas, mas sim de reconhecerem como diferentes e não como superiores ou inferiores. Este seria o mundo ideal não é?
A inveja é um sentimento inconfessável. Poucas são as pessoas neste mundo que se dizem invejosas, mesmo sabendo que muita gente é. A inveja é considerada pela psicologia, como um mecanismo de defesa dos mais fracos contra os mais fortes.
A inveja é destrutiva, não permite a mudança interna, não nos abre a novos pensamentos e ensinamentos, não permite nosso crescimento pessoal, nos coloca em intermináveis cheques-mate e o mais triste, vai acumulando um sentimento de ódio que não é nosso.
Viver o que é padrão não é viver o livre, comparar e depender da aprovação do outro é viver em inveja constante, fazendo assim com que se perca a sua identidade tão única e tão bem elaborada. O diferente é mais claro e evidente. Se é diferente, nos ensina algo que é evidente e jamais pode ser comparado. Aprenda, absorva, se deixe entender e transmita aos que ainda não conhecem....

terça-feira, 3 de junho de 2008

Video do Blog no You Tube

video

trechos dos textos publicados entre fevereiro e inicio de maio de 2008.

musica: disarm, autor: Billy Corgan

cd siamese - Smashing Pumpkins

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Tropeços.....


Falemos dos tropeços: As denominações evangélicas estão seguindo exatamente o mesmo passo da Igreja Católica Romana... entendam o pq!!!
Faremos uma historinha rápida; ... e assim surgiu...

Com a reforma protestante, o Comandante em Chefe “O Papa” fora deposto da direção pela Igreja, o que deixou a entender que Jesus Cristo seria eleito para conduzir a tal “Nova Igreja Reformada”, isto claro no término da toda jornada. Mas não foi bem assim que se transcorreu a história, pois a eleição do novo comandante em Chefe foi só de aparência, ao deixarem a Igreja Romana, “os reformadores” não conseguiram deixar de lado ou simplesmente abandonar suas PRINCIPAIS DOUTRINAS, e quais eram elas?????
BATISMO E DIVINDADE.

Sim isso mesmo, mas agora falando sério...

Os reformadores não tinham a real noção de tal feito, pois o movimento Evangélico estava se iniciando, criando uma raiz e ai, com o passar dos anos, houve a acomodação doutrinária, mesmo sabendo que tanto o Batismo quanto a divindade se espelhavam na imposição doutrinária de Constantino sobre a igreja, estes dogmas permaneceram.

Com isso houve o Primeiro Grande Erro Teológico, erro este que foi o mesmo cometido pelos filósofos Greco-Romanos, pois transformar a Figura de Deus em três ( PAI-FILHO e ESPIRITO SANTO) é uma interpretação um tanto ridícula das escrituras. Uma Divindade não é três, a definição de Divindade é: um ser extranatural, usualmente com poderes significantes,
cultuado, tido como santo, divino ou sagrado, e/ou respeitado por seres humanos. Normalmente as divindades são superiores aos seres humanos e à natureza.
Pensemos assim: Deus foi transformado em uma enorme salada politeísta de Deuses, e com três cabeças. As interpretações teológicas são inúmeras, já foi definido também como “três substâncias distintas, mas iguais” - O QUE ?????????????? Tá até parecendo um ser feito por um químico ou então por um Alquimista. Francamente, a idéia de uma substância “distinta, mas igual” chega a ser absurda, se uma substância é distinta, ela “difere de outra coisa”(definição do dicionário), se o tal conceito de DISTINÇÃO é a DIFERENÇA entre partes,
COMO SERIAM IGUAIS???????
Bom podemos também acreditar que tais conceitos de diferença e igualdade foram mudados pelos TEÓLOGOS, afim de adequá-los à sua visão..... Pode ser!!....

Apresento a vcs agora o Segundo Grande erro teológico: foi declarado por eles a existência de dois batismos, um segundo S. Mateus e outro segundo Atos.
Mateus 28:19 foi a maior parábola já pronunciada pelo Senhor Jesus e, como era comum, poucos compreenderam o seu significado. A ordem para ir ao mundo todo batizando, em nome do pai, e do filho e do espírito santo foi dita aos apóstolos, e eles conheciam qual era o nome, sabiam exatamente em nome de quem eles batizavam. Apesar da maioria serem incultos, eles sabiam que pai nunca foi nome de ninguém, tampouco filho e espírito santo, compreensão que falta aos doutores de nossos dias.

Voltando a história.......
Por isso Pedro, em "Pentecostes", Clamou: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados..."Atos 2:38.
Esta é a revelação da parábola de S.Mateus 28:19 que falta às denominações Católico-Evangélicas. Foi claro o Sr. Pedro ai ao dizer “BATIZADO EM NOME DE JESUS CRISTO”, então milhões de Católicos Evangélicos, com sua fé corrompida pela teologia, que nos dá 2 batismos um pelo Espírito Santo e outro em Nome de Jesus,
CAMINHAM PARA O ABISMO?????
Não, não caminham......

Batizar na água, ou envolto ao Espírito Santo só nos diz uma coisa, tanto as Igrejas quanto os teólogos, que da maioria delas provem, nos afundam em explicações, teorias, dogmas, ditos...etc que por fim nos dão uma única objetividade: A DUVIDA.
Foram 12 os que saíram por ai falando, e pensem... foram 12 que ouviram também, e cada qual teve sua interpretação e passaram isso adiante, vejamos hoje o mundo infestado de interpretações. Caminhar a uma única interpretação hoje em dia iria desdizer o que já foi pregado e imposto, desmoronaria a Santa Igreja, a maior de todas, que com suas raízes de vários nomes, prolifera o mundo com INTERPRETAÇÕES que por fim só a beneficia.

E assim termino eu......

Revelação Fotográfica - Parte 1

E se hoje fosse revelado ao mundo:

- Que Deus tem um Nome;

- Que Jesus deixou um corpo enterrado;

- Que Judas foi escolhido para entregá-lo;

- Que existe vida fora da Terra;

- Que Joana D’Arc dizia ouvir Jesus;

- Que de agora até o ano 2012, milhões de pessoas morrerão porque não podem entrar na nova era;

- Que Jesus teve filhos;

- Que Deus não tem religião;

- Que o Papa sabe que a Igreja é uma mentira;

- Que Saladino (muçulmano) foi à reencarnação de Moisés (hebreu);

- Que Maomé não fundou coisa nenhuma;

- Que Jesus deixou escritos (assinados);

- Que Dalai Lama abriria mão do budismo quando tudo acima fosse revelado;

- Que Malcolm X hoje estuda educação-física;

- Que o Universo está em guerra;

- Que temos 4 planetas amigos e 40 planetas inimigos;

- Que essa guerra é travada no campo da mente;

- Que sua forma de pensar, agir, se expressar e sentir nos levaria a vitória;

- Que esses inimigos estão aqui;

- Que a bíblia não é sincera;

- Que Hitler não se perdoa pelo que fez;

- Que os EUA vão falir e o Japão será a nova potência;

o que aconteceria?
E se tudo isso for uma verdade que você ainda não conhece?