sexta-feira, 27 de junho de 2008

O BOICOTE... quer dizer...

“Não há nada melhor a ser feito do que passar a vida fazendo nada”
Este texto, senhoras e senhores, tchananãn... é sobre O BOICOTE!
Iiiiirrrrrrrrcccc!!!!
[foto removida]
Desculpem-me. É sobre a Preguiça
(agora sim, põe a foto)
Pode ficar tranqüila(o) que não será derramado sobre você aquelas coisas ultra clichês, que estamos enjoados de ouvir mas ainda não estamos cansados de ignorar, como “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”, "xô preguiça"entre outras.
A preguiça é o maior boicote que uma “besta-quadrada-humana” pode cometer. Você*!!!!!!
A definição é minha e nem vou buscá-la no dicionário. A preguiça para a igreja católica, que a classificou como pecado capital, é basicamente “aversão ao trabalho”. O que a gente chama de vagabundagem, corpo mole, não querer nada com a hora do Brasil... Assim, podia-se ter o clero e a comunidade ao dispor do monsenhor, cuja única recompensa seria o “não pecar” e a obrigação dele, era desfilar seu dedo anelado para ser beijado...bleargh!
A preguiça é a mais clara demonstração de que estamos em guerra. Uma guerra travada dentro de cada um, uma guerra programada e com data para terminar, entre a sua mente (que mente) e seu coração (voz da alma).
Poderíamos criar um mini fórum de discussão onde todos dariam suas opiniões sobre o que é melhor de ouvir, a razão ou o coração, mas não temos o direito de discutir isso, não com o mundo sendo o reflexo da bosta que você é. Que vai vir falar de equilíbrio com ares de soberba e continuar nos levando à derrota...
O boicote vem da sua mente. Ela não gosta de você, não quer te ver bem, desconfia de tudo, perde tempo pensando e, se possível, vai te indicar o caminho oposto ao que deves seguir.
[Se sua vida é perfeitamente harmônica e não existe dúvida, nem medo, nem erro, desconsidere esse texto, você é 100% voz da alma]
A preguiça faz justamente isso. Em forma de “falta de vontade, ânimo ou força”, sob a máscara da dificuldade, do “é muito trabalhoso”, “é chato”, “é demorado”, “é longe”, “é frio”, “é tarde”, “é feio”. “é isso e é aquilo”, você vai se boicotando, vai se privando de realizar coisas, iniciar projetos, colocar idéias em prática, estudar, visitar, telefonar, conhecer, ler, pesquisar, reunir... e nunca vai saber o que seu coração lhe sinalizava.
Todas as vezes que tive preguiça de sair, e acabei saindo (a força), foi quando me diverti mais. Todas as vezes que enrolei, enrolei, enrolei para fazer alguma coisa, foi quando eu perdi mais tempo, perdi mais oportunidades.
Preguiça não tem nada a ver com descansar e ficar sem fazer nada. É uma delícia ficar largado no sofá, ou na rede, ou na piscina, ou na grama... Você não tem que viver zanzando por aí, caçando o que fazer. Preguiça é a vontade de não fazer quando você TEM que fazer algo. (pode ser o que for... até pegar um copo d’água). Enrolar, também é mascarar a preguiça: “fico aqui de bate papo na internet o dia inteiro e não arrumo o quarto”. Dizem que existe preguiça na natureza. NEGATIVO. O gato passo o dia todo deitado sem fazer bocófas...até sentir que deve caçar. Pergunta para ele se ele vai deixar pra depois? Até o bicho preguiça, ouve mais a alma do que você*!
A preguiça é aquela idéia de deixar para depois a fim de boicotar sua vida. E a culpa é sua! O plano da mente é que o prazo acabe, que o banco feche, que seu amor se zangue, que seu filho se chateie, que depois você tenha milhares de tarefas acumuladas e acabe deixando de fazer alguma... E, na hora que estiver resolvendo aquela prova, coçando a cabeça sem saber o que responder, vai se lembrar de todo o tempo que teve para estudar, da mesma forma que teve para arrumar a casa, comprar o presente, trocar o óleo do carro, brincar com seus filhos, fazer aquele relatório chato...
O intuito da mente é que você viva frustrado consigo. Que você viva com raiva de você, correndo contra o tempo que você jogou fora. O tempo nem existe para a voz da alma, porque para ela, só existe o agora. Tum. Agora. Tum. Agora. Tum. Agora. Tum... sair do ritmo é com você.
A preguiça é a melhor forma de se boicotar, de perder oportunidades, de não realizar os desejos de sua alma. É ficando chato, molenga, com sono, que a sua vida refletirá mais a porcaria de soldado que és, nessa guerra já quase perdida.
Caso sua cabeça tenha passado o texto todo contra argumentando, saiba que você estará marcando um baita gol contra – cheio de argumentos e justificativas. Num fica nem perto de mim, por favor!!!!

Quantas vezes, por preguiça, você se frustrou com algo que demorou a fazer ou não fez?
Quantas vezes você se sentiu satisfeito por ter feito parte de algo bom, por ter iniciado e terminado algum projeto ou vontade tua?
Percebe a diferença? Ou tem preguiça de entender?
Tenho um desafio! Faça isso por 10 dias e chegue a suas próprias conclusões:
- Faça exatamente o contrário de sua preguiça!
Perceba como vai se sentir.
Nesse momento, eu sinto que terminei meu texto... mas quero ficar escrevendo porque to com preguiça de trabalhar e se eu terminar de escrever, terei que encarar os papéis da minha mesa... * todos nós ...aaarghh, uuurgh, afffs
Tchau! (!)

3 comentários:

Gabi disse...

Carambolas, vocês estão inspirados, heim???
Cada tapa na cara que vocês deram que perdi até o rumo!
Parabéns pelos textos!
Bitocas

MaFê disse...

ahahahahahahahahahaaa!

Fe(feio), seu bicho-(da-) preguiça é um tanto antraente, pantufas roxas, joaninha na juba...
É de propósito?

Guris, leiam, se quiserem, 'A Yoga do Coração', de Alice Cristensen, Ed. Pensamento.
Lá ela fala dos Yamas e Niyamas, onde tratamos dos atributos 'opostos' aos 'pecados'. (Entre ' ' palavras que não apr[e]endo...).
Acredito que vá fazer sentido para vocês, vai alimentar e dar foco ao fogo interior.

É interessante como apenas observar a nós mesmos, sem julgo, já fortalece.

Luz e paz,
beijOM,
MaFê

MaFê disse...

rsrsrs,

atraente.
(antraente é mistura de anta com atraente)

MaFê